Os instrumentais odontológicos são bastante específicos, desenvolvidos para suprir as necessidades do dentista, nas mais diversas especialidades, como cirurgia, periodontia e ortodontia

Os materiais dentários restauradores são desenvolvidos pelo fabricante e selecionados pelo dentista segundo as várias propriedades listadas.

Requisitos para materiais usados em odontologia

A odontologia de uma forma geral, tem como objetivo manter ou melhorar a qualidade de vida do paciente, através da prevenção de doenças, aperfeiçoamento da eficiência mastigatória e melhoria na fonética e estética .

Da mesma forma, os materiais dentários devem cumprir esses objetivos e além desses, possuem os seguintes pré-requisitos:

• Biocompatibilidade

• Adesão permanente as estruturas dentárias e ósseas

• Igualar-se com a aparência natural da estrutura dentária e dos tecidos visíveis

• Exibir propriedades similares aos tecidos que tentam mimetizar (Ex: dentina e esmalte)

• Ser capaz de promover reparação ou regeneração tecidual dos tecidos perdidos ou lesionados.

Todos esses itens aproximam os materiais dentários do que definimos como biomateriais.

Propriedades biológicas

Uma das propriedades mais importantes de um biomaterial odontológico é a biocompatibilidade, ou seja, a capacidade do material extrair uma resposta biológica apropriada numa certa aplicação no corpo. Por exemplo, em um implante ósseo, as expectativas são que o osso integre o implante. Assim, a resposta biológica adequada do implante, é a osseointegração.

No caso de uma coroa total fundida, a expectativa é que o material não cause inflamação aos tecidos pulpares e periodontais, mas não se espera osseointegração. O fato de um material ser biocompatível ou não, depende da sua função física e da resposta biológica esperada.

Propriedades mecânicas

A maioria dos materiais restauradores deve suportar forças durante a fabricação ou mastigação. A quantidade de força, tensão, deformação, resistência, rigidez, tenacidade, fricção e desgaste podem ajudar a identificar as propriedades de um material.

Propriedades reológicas

A Reologia é a ciência que estuda o fluxo e a deformação da matéria. Cada tipo de tensão é capaz de produzir uma deformação correspondente no corpo. A quantidade de deformação irá diferir com cada tipo de material.

Vários materiais odontológicos, como os fios ortodônticos podem suportar uma grande quantidade de deformação antes de sua falha, podem ser dobrados e ajustados com menor chance de fratura.

Propriedades térmicas

Uma importante aplicação da mensuração de temperatura ocorre durante o preparo cavitário. Temperaturas elevadas podem causar necrose pulpar.

As diferenças de condutibilidade térmica (quantidade de calor que passa através de um corpo) podem causar diferenças nas respostas dos tecidos moles. Assim, é desejável um melhor entendimento da condutibilidade de vários materiais restauradores para promover um grau adequado de isolamento, compatível com o dente natural.

Luz, cor e estética

A cor de um objeto é resultado de uma resposta fisiológica a um estímulo físico. A sensação é um fenômeno subjetivo, enquanto o estímulo físico que produz a sensação, resultante da incidência do feixe de luz sobre o objeto, é inteiramente objetivo.

De acordo com as leis de Grassman, “os olhos podem distinguir as diferenças em apenas três parâmetros de cor. Esses parâmetros são os comprimentos de ondas dominantes, refletância luminosa e pureza do estímulo” (ANUSAVICE, 2005).

Portanto, o comprimento de onda dominante (?) é o comprimento de onda de uma luz monocromática que quando misturada em proporções adequadas com uma cor acromática (cinza), vai se igualando a cor observada. De todas as cores visíveis, há apenas três cores primarias: vermelho, verde e azul. Qualquer outra cor pode ser produzida pela combinação adequada destas cores.

A refletância luminosa da cor torna possível a classificação de um objeto dentre uma série de cores monocromáticas. O padrão negro é designado como reflexão 0 de luminosidade, enquanto o padrão branco é considerado 100.

O croma relaciona-se a pureza do estímulo ou a saturação de uma cor. Essa característica refere-se ainda as diferenças de uma mesma cor: Ex: um verde mais ou menos intenso. Os números que representam as faixas de saturação variam de 0 a 1. Esta característica de percepção de cor também é conhecida como croma.

A cor possui componentes básicos que são de grande importância na adequada análise e escolha do material a ser utilizado nos elementos dentários, dividindo por etapas o

diagnóstico da cor:

• Matiz da cor propriamente dita. O feixe de luz no seu determinado comprimento de onda em direção à retina. O azul, o vermelho, o verde etc.

• Croma. O grau de saturação da cor ou concentração desta. Azul mais forte (mais “vivo”), por exemplo.

• Valor. A intensidade de brilho que a cor pode proporcionar. Se é mais claro ou mais escuro.

• Translucidez. O grau de passagem de luz ou quantidade de refração que esta luz pode realizar sobre determinada superfície.

qualquer outra dúvida consulte nosso site:

https://planoamildentalvendas.com.br

Fale Conosco
Enviar via WhatsApp

Amil Dental

Ficou alguma dúvida?
Um dos nossos consultores especializados entrará em contato para esclarecer as suas dúvidas.

(11) 93801-0196

(11) 93805-8546